https://i2.wp.com/img228.imageshack.us/img228/2033/flamescx4.jpg

E não é que eu vou mesmo? Ao contrário do que eu esperava e muito surpreendido, embarco hoje para a minha primeira viagem à Região Norte. A convite do pessoal da INSEJEC em Palmas, vou participar de um treinamento de ativação profética para jovens líderes da nação, o FLAMES, que é promovido pelo Ministério Tabernáculos na pessoa do Apóstolo Dawidh Alves, um cara que marcou muito a minha vida com suas palavras, e inclusive pude ser ativado profeticamente como nunca após uma ministração sua, quando estivemos juntos na cidade de São Paulo, no começo do ano.

Eu não esperava ir ao FLAMES! Depois de muito comentar com algumas pessoas sobre ele durante o “Herança Sacerdotal”, fui convidado por meus amigos tocantinenses para ir ao evento. Eles se juntaram e compraram minha passagem! A partir daí comecei a acreditar que Deus queria fazer algo especial nesse período, antes do fim do ano. Ele envolveu pessoas e não permitiu que eu planejasse essa viagem, deixando tudo por sua conta [e risco].

Estou embarcando daqui a pouquinho e não faço a mínima idéia do que vai acontecer, de como vai ser. E sabem, prefiro continuar assim. Toda a programação, tudo o que eu fizer daqui para a frente estará no controle do Senhor. Estou feliz por ter esse tempo de apenas sentar e vê-lo agir, para me ensinar, me falar ao ouvido e me mostrar um pouco mais de quem Ele é

Uma coisa que eu não podia deixar de comentar aqui é que esta edição do FLAMES promete ser carregada de algo interessante. Temos notado que nossa geração é um “intermédio” entre duas gerações, ela abre as portas para uma geração nunca antes vista na história do cristianismo, que prepará a Terra para a volta de Jesus. Cabe aos intermediários [nós], seguir resgatando e restaurando os altares rompidos no passado.
Lendo uma correspondência do Apóstolo Dawidh, creio que teremos um FLAMES com os olhos voltados para os anos 80 e as promessas que a Igreja não absorveu naquela época, que não podem cair. Assim como o “Sucessores Brasília”, nos quais abordamos o resgate dos anos 60 e 70, creio que será bem interessante relembrar uma época tão singular na história e “reparar” o que aconteceu nela para nós, como Igreja e para a Igreja em Palmas. Veremos a promessa começando a ser cumprida, e sou um dos primeiros dos muitos que irão assistir o romper que vai rolar por lá.

Agora eu sei que eu não podia perder essa. Continuo escrevendo pra vocês durante o evento, a medida que eu sentir necessidade de registrar e compartilhar algo. Ah, quem tem esse costume, não esqueça de orar por mim e pela viagem, sim?

Agora eu vou dormir que tem estrada quando amanhecer.

Meu convite de hoje é: ACREDITE! Ele acredita em você.

Anúncios