Há uma Palavra que tem me impactado profundamente nas últimas semanas. Eu gostaria muito de compartilhá-la com você, deixando-a registrada aqui também.

Vocês devem conhecer a história do Jovem Rico, não é? Se ainda não conhecem ou a confundem com a do Filho Pródigo, darei algumas alternativas para vocês refrescarem as memórias! Confira na Bíblia clicando aqui, ou ainda abrindo seu próprio exemplar em Mateus, no capítulo 19, versos de 16 até o 30.

Se você prefere uma refrescada com música, coloco aqui uma canção chamada “o Jovem Rico” de uma banda que já não escuto, mas que foi uma trilha sonora da minha adolescência, a banda Novo Som. Pra variar no caso deles, uma boa balada estilo anos 90, com guitarras e agudos.

Agora que você já viu ou revisou essa famosa história vivida por Jesus, gostaria que você a analisasse de uma forma diferente hoje. Costumamos demais falar sobre essa história com os jovens não-cristãos, fazendo um paralelo entre as riquezas do jovem com a vida e toda a curtição que um jovem de hoje experimenta, e que tem dificuldade para deixar em nome de um relacionamento com um ser poderoso e invisível.

A comparação é justa e a pregação dessa história já converteu corações em todo o mundo. Meninas fanáticas por cantores, dançarinos exímios, boêmios e guitarristas de bandas de rock já passaram a frequentar igrejas e mudaram suas vidas ao ouvir essa história. É verdade, Jesus quer que deixemos tudo para seguí-lo.

Certo dia, me lembrando dessa passagem, reparei num dado importante. Quando Jesus fala sobre os mandamentos, sobre a Bíblia daquela época, o jovem responde na hora que obedecia a todos os conceitos deixados por Deus através de Moisés, logo, não é errado dizer que aquele jovem era um crente exemplar de sua geração. Sem dúvida ele ia à Igreja, obedecia os superiores, adorava o Senhor no templo e fora dele, e mais: tinha uma vida honesta, e todo o seu dinheiro e posses eram fruto de um trabalho suado e digno, dele e também de seu pai.

A coisa fica ainda mais delicada quando pensamos desse modo: então Deus estava pedindo que aquele jovem se livrasse de coisas “lícitas”? Sim, era isso. Riqueza não é pecado, e principalmente naquele caso, posses conquistadas com honestidade, sendo entregues a Deus periodicamente em dízimos e ofertas voluntárias! O problema em questão, definitivamentem não era o dinheiro, mas sim, a importância das coisas na vida daquele jovem.

O que é importante para você? Não seja clichê ao ponto de colocar Jesus na lista. Ele mesmo sabe que existe outra infinidade de coisas que também são importantes demais para você, sem as quais, você pode até sobreviver, mas com alguma dificuldade. Liste isso em algum lugar aí. Você vai se pegar escrevendo alguns sonhos, seu ministério, sua Igreja, seus amigos, sua família, as pessoas que você ama, quem sabe sua carreira, seu trabalho, alguma posse, seu computador, carro, casa, enfim…

Todas essas coisas listadas são lícitas e devemos tê-las. Todo mundo precisa de sonhos, como eu escrevi no post anterior. Todo mundo quer frutificar no ministério, amar sua Igreja, curtir os amigos, se proteger na família, trocar amor com pessoas especiais, ter sucesso na carreira, ter coisas, um bom computador, um lindo carro, uma casa confortável… Não há pecado em nada disso! Ao contário, o Senhor quer que tenhamos tudo, para que vivamos o melhor enquanto estamos nesta Terra.

Mas há uma lição que devemos aprender constantemente, e que parece que esquecemos fácil. Jesus deve ocupar o lugar de primazia no seu coração. Se você gagueja quando Jesus te dá uma ordem, desculpe, mas você deve clicar aqui e fazer uma oração pedindo para que Ele seja o Senhor da sua vida. Ele ainda não é o seu Senhor. O primeiro lugar é sempre dEle, e nao existe discussão quanto a isso.

Apesar da soberania de Jesus parecer algo esmagador, é o amor que funciona como mola motora disso tudo. O olhar de Jesus, que tocou o Jovem Rico, naquela ocasião, não fez efeito. Jesus o amou, e o amor de Jesus é o suficiente para que alguém deixe tudo para trás, e queira ter apenas a Ele como posse, apenas seu nome integrando sua lista de bens.

Por isso mesmo que Ele fala que é tão difícil um rico entrar no Reino, porque o Reino é dos pobres! (Mateus 5.3) O pobre de Espírito é aquele que sabe que não possui nada, que entregou tudo, que não tem onde se fiar, seu coração não vive de nada além do próprio Jesus. Quando Ele criticou os ricos após o episódio com o jovem, Jesus não dizia a nós para não termos posses, mas dizia que deveríamos tê-lo apenas como bem, apenas deveríamos confiar nEle. O chamado de Jesus era para que empobrecêssemos nossos espíritos.

Como você, eu também tive muitas coisas. Digo que tive, porque o olhar de Jesus me alcançou, e ao contrário do Jovem Rico, eu deixei tudo. Eu tinha sonhos, tinha amigos, tinha um lugar confortável, um ministério promissor, chances, oportunidades, um futuro grandioso á minha frente… Eu também conheço a Deus e seus mandamentos desde os onze anos de idade. Mas realmente me faltava algo: deixar tudo isso para possuir apenas o que Ele possui. Assim, abandonei tudo o que era meu, tudo o que tinha conquistado, para tê-lo, apenas.

Hoje, apenas o espero. Espero para ver o que me restou, o que Ele tem a oferecer de volta. Sei que é o melhor, pois dentre os que tudo deixaram para seguirem a Jesus, eles receberão mil vezes mais do que deixaram. É isso o que Jesus possui: muito mais do que aquilo que abandonamos, de modo que eu sei bem que posso confiar em seu amor por mim.

Meu convite para você, meu irmão, é que você também confie no amor de Jesus. ENTREGUE tudo o que você tem, ainda que não exista nada de mau entre suas posses. Jesus quer sua vida por inteiro. A cruz o fez digno de recebê-la. Entregue. Deixe tudo o que você tem em troca de receber a Jesus Cristo como herança. Eu sei que isso pode não ser fácil, mas eu sei que o amor dEle faz qualquer sacrifício valer a pena.

Anúncios