Archive for novembro, 2009


Hoje, os carros que peguei passaram por diversos semáforos. É difícil ver uma luz vermelha de sinal e não me lembrar de você… Não lembrar do seu daltonismo no meio da avenida mais movimentada da cidade, enquanto todos gritávamos com caixas de sorvete derretendo sobre as pernas. Fica difícil não lembrar de você olhando as pessoas passando, histórias ambulantes, “quems”, “quandos” e “porquês”… Gente preta, azul, branca, vermelha, amarela. No meio dessa salada de gente, você saltou do nada, voando sobre um cartão escrito em letra de forma sobre uma arte que eu já tinha desenhado milhões de vezes, para o inescrutável lado de dentro do meu coração.

Continue lendo

https://i2.wp.com/3.bp.blogspot.com/_KPdEcxzBrwQ/SpLE6PYS1OI/AAAAAAAAAXQ/2Hx4M4bHpT4/s400/3834258173_395590b63d.jpg

A maioria das pessoas que visita meu blog deve conhecer a Mariana Valadão. Pode não saber que ela já lançou seu segundo disco e a última canção que tenha ouvido em sua voz tenha sido “Oásis” no Diante do Trono 11, ou só se lembre de “Quero Tocar-te”, em “Quero me Apaixonar”. A questão é que Mariana lançou dois discos muito maduros musicalmente, e esse novo trabalho só consolida o que foi visto em 2008. O primeiro disco solo veio topado de canções internacionais muito famosas no meio cristão: sucesso garantido. Ótimas versões, com raras ressalvas (como “Hungry” e “Hosanna” que perderam a força de suas letras nas traduções).

2009 foi a oportunidade de lançar um trabalho autoral. E veio “De todo meu coração”, que traz composições dela em parceria com seu marido Felippe Valadão, R.R Soares e outros amigos. A simplicidade do coração de Mariana é totalmente exposta no disco, de modo que as adolescentes no início de sua vida devocional, se identificam muito com o que a cantora fala nas letras. A música que abre o disco e dá nome a ele tem isso muito forte em todo o seu andamento.

Continue lendo

Todo mundo cresce

abner

Todo mundo cresce um dia. Por mais que se queira sonhar em ser pequeno e criança para sempre, isso quase nunca é possível de fato… Alguma circunstância muda e você se vê obrigado a crescer, ir para a próxima fase. Esse pode ser um processo extremamente complicado, dolorido e prazeroso, com todas essas sensações ocorrendo ao mesmo tempo.

Continue lendo