abner

Todo mundo cresce um dia. Por mais que se queira sonhar em ser pequeno e criança para sempre, isso quase nunca é possível de fato… Alguma circunstância muda e você se vê obrigado a crescer, ir para a próxima fase. Esse pode ser um processo extremamente complicado, dolorido e prazeroso, com todas essas sensações ocorrendo ao mesmo tempo.

A natureza, eu mesmo, meus livros de biologia do ensino médio, tudo isso me ensinou que tudo aquilo que está vivo tende ao crescimento. Porém, ninguém me ensinou isso tão bem quanto as pessoas que vi crescendo… Gente que era uma coisa num ano, e numa conversa seguinte, num ano posterior, apresentavam uma transformação surpreendente.

Ao olhar uma figueira, Jesus não achou frutos nela e a amaldiçoou. Fico triste por quem não cresce, por pessoas que encontro ano a ano, mês a mês, e não me acrescentam nenhuma novidade. Elas até podem ser queridas e agradáveis (afinal, as uvas sem sementes são muito gostosas), mas são aquilo mesmo o tempo todo, não evoluem, o que comprova que na verdade, essas pessoas não são saudáveis.

O Abner é um amigo muito querido, que conheci quando ele ainda não era tão crescido. Me assustei porque em um ano, ele se transformou em outra pessoa. Estamos acabando esse ano e ele já apresenta mais sinais de mudança para o próximo ano, sinais claros de amadurecimento e crescimento real. Deus é nosso grande agricultor, é Ele quem rega as árvores que planta… E quando elas decidem pelo crescimento, o resultado é ainda melhor.

Lembro que ele virou meu “fã” (hohoho) antes mesmo de me conhecer. Nos conhecemos de fato e nos gostamos muito, sem muita explicação. Como eu gosto de dizer, algumas coisas são como deviam ser mesmo e todos nós somos livres no amor que cultivamos.

Você pode ver o Abner crescendo aqui. Aproveite e faça como eu, deixe um parabéns para ele hoje!

Te amo, querido. E lembre-se sempre: “nós somos livres no nosso amor” (haha). Feliz aniversário!

Anúncios