Category: Blog do Jeff


Dia desses recebi uma carta de uma amiga muito querida. Ela é uma pessoa muito especial para mim, que apesar do pouco contato, sempre foi um exemplo sobre como fazer uma série de coisas, incluindo ter uma vida exemplar no que se diz respeito à dependência do Pai. Fiquei sabendo por outros amigos em comum que ela estava passando por momentos um tanto complicados. Naquela época, eu já estava devotando a minha atenção para um fato primordial: o que declaramos com os lábios pode sim, fazer toda a diferença nas coisas que vemos nascer no presente.

No meio de seu “furacão” pessoal, minha amiga enviou uma mensagem ao circulo de amigos que fazemos parte. Fiquei surpreendido pelo fato de não haver uma frase de reclamação no texto que “explicava” a situação. Ela tinha apenas um objetivo ao escrever: fazer coro com Deus. Se a voz de Deus tinha criado os mundos, tinha feito tudo nascer, o que seria mais óbvio num tempo de caos? Usar o instrumento criador de tudo a seu próprio favor! Foi o que ela fez. Fiquei tão surpreendido com isso e almejei que fosse assim comigo, um dia.

Esta semana, passei por algumas situações não muito fáceis. Lembrei-me da carta dessa minha amiga querida. Para não expôr pessoas ou fatos, vou “transliterar” a mensagem aqui, que dizia algo assim:

Estou profundamente escondida nas mãos do meu Senhor. Sinto-me tranquila, uma profunda paz me faz perceber que coisas grandes e tremendas estão sendo liberadas sobre mim. Aqui em casa, vejo muitas portas se abrindo!
Agora, estamos sendo não só corrigidos como também testados. Descanso muito em saber que todos que esperam no Senhor renovarão as suas forças, subirão com asas, correrão e não se cansarão.
Deixo minha palavra de ânimo a você que me lê. Coragem! Alguém disse que isso seria fácil?
Lembre-se: não estamos sozinhos. O Deus eterno é a nossa habitação e por baixo de nós estão os Seus braços eternos. Levantem-se e resplandeçam por que está vindo a luz… O menor crescerá sobremaneira.
É muito bom servir a Deus! Por isso, manteremos nossos olhos firmes em Jesus (pois em nenhum outro há salvação, por que debaixo do céu nenhum outro nome há dado entre os homens pelo qual importa que sejamos salvos).
Despertemos nosso coração. Não precisamos ter medo se respondemos com o silêncio. Tocai a trombeta em Sião, transbordaremos sim, da direita para a esquerda, se ouvirmos os conselhos eternos do Senhor.
Relembrando a mensagem, comecei a pensar no problema como se de fato ele não existisse, e minha boca desatou a dizer tudo bem diferente do que estava acontecendo. Tal fato me fez entender que toda palavra que sai de nós tem a capacidade de produzir o que ela disser…

(continua)

O antigo do que vai adiante

https://i1.wp.com/img403.imageshack.us/img403/8342/resposta.png

.
Você me pediu que fizesse uma arte. Hoje, só sai isso.
.

[Porque de repente deu saudade dos tempos de fotolog: eu entendia os posts sozinho e todo mundo achava legal. hehe]
[E claro, certos fatos são subjetivos demais pra gente explicar em textos longos]

Sem mais…

https://i1.wp.com/img831.imageshack.us/img831/8717/jumpz.jpg

Julho foi o quinto mês dos “seis” meses. Essa foto aí foi tirada pelo meu amigo Danielzinho Silva, no púlpito da INSEJEC São Paulo, no último dia do “Militantes” lá. Acho que ela ilustra bem o que esse mês foi pra mim. Ele foi tão intenso, que nem sei se conseguirei explicá-lo bem, mas lá vai.

Continue lendo

Ao contrário do que se tentou divulgar por aí, eu NÃO vi nadinha da copa do mundo na África. Realmente fiquei sem TV por seis meses e ainda me sinto meio “deslocado” quando o assunto é notícias… Mas, soube que o Brasil perdeu e ainda ensaiei sair de verde-e-amarelo nas ruas. Enfim, coisa mais perto da Copa do Mundo que eu poderia assistir (e me render boas risadas) era o vídeo abaixo que eu repasso para todos vocês. Lorenna, te dedico!

This time for Africa! (interna)

Minhas cores preferidas

https://i1.wp.com/img709.imageshack.us/img709/5598/j2mediamcz.jpg

Mais um congresso que termina. Há três anos, depois de um evento como este, eu só teria coisas a falar sobre como foi, sobre o que ocorreu e principalmente, sobre como me senti depois de tudo. Hoje, posso fazer um pouco mais que isso. Desde que o Projeto Joel começou que eu canto, danço, fotografo, escrevo, desenho, faço vídeos e organizo. Tudo junto, tudo ao mesmo tempo. Em 2010 ganhei um presente: não faço mais isso sozinho, mas pude recrutar pessoas para me ajudar nessa tarefa muitas vezes tão árdua e complicada. A tensão de trabalhar em algo tão cercado de expectativas fica minimizada, quando você tem com quem compartilhar isso. E essa é a maior bênção que eu recebo antes, durante e depois do congresso: pessoas.

Continue lendo

https://i0.wp.com/img52.imageshack.us/img52/363/oleiro2.jpg

“Deus disse a Jeremias: ‘Em pé! Vá até a casa do oleiro. Quando você chegar lá, eu vou dizer o que eu tenho a dizer’. Então, eu fui mesmo para a casa do ceramista, e como era de se esperar, ele estava ali, trabalhando a fio em seu torno de oleiro. Uma vez que o pote em suas mãos “desandou”, como normalmente acontece quando você está trabalhando com barro, o oleiro tomou o monte de barro e começou a fazer um novo vaso, do começo. Então, a Mensagem de Deus veio a mim: “Eu não posso fazer como esse oleiro faz, Israelitas?” Yahweh está falando: “vejam este oleiro. Do mesmo jeito que ele trabalha com seu barro, eu trabalho em vocês, Israel.” (Jeremias 18.1-6 THE MESSAGE)

Depois do fim do primeiro mês, Abril chegou e com ele seus desafios. Me lembro muito desse mês por algo que eu ouvi, uma voz estranha, me dizendo coisas que camuflavam ódio com verdade. Me lembro o quanto fui abalado com tudo aquilo. É interessante como hoje pude ouvir a mesma voz, a mesma mensagem, e como um filme, posso lembrar exatamente de Abril desse ano e tudo o que vivi nesse mês especial. Quando se passa por uma dificuldade, é fácil julgar, culpar o outro, pelo mal que venha a nos causar. Diferente e surpreendente, é ter a atitude de que se precisa olhar para dentro e ver o momento de dor como um tratamento de Deus. Foi isso o que comecei a aprender seis meses atrás, e hoje, acabo de verificar que não terminei ainda. Longe de me comparar ao exemplo de cristão que Paulo foi, mas isso me lembra uma certa situação…

Continue lendo

“O caminho do justo é como a aurora. Vai brilhando mais e mais, até ser dia perfeito” (Provérbios 4.18)

Seis meses. Sabiam que eu achava que esse tempo nunca acabaria? Sentado aqui, escrevendo o post de retorno do blog, não sei nem o que dizer frente a tanta coisa que veio acontecendo nesses seis meses que se passaram. Eu me atrevo a dizer que 2010 foi um dos anos mais difíceis da minha vida até hoje, sem dúvida o ano com menos diversão e com mais crescimento. Desde bem novo tenho aprendido que cada dor é catalisadora do sofrimento e do aprendizado. Posso dizer que aprendi muitas, muitas coisas.

Uma das coisas que aprendi foi algo que eu já julgava saber, mas nunca tinha vivido uma experiência palpável com isso. Gostaria de compartilhar sobre isso aqui…

Algum dia você já se achou pronto? Ou já achou que algum dia estaria definitivamente pronto? Quando você sonha, como você se vê nos seus sonhos? Com o caráter formado? Sendo uma cópia fiel de Jesus? Cheio de dons, graça e verdade? Transbordando humildade e simplicidade? Eu sou um cara muito sonhador e assim como você, também sonho que o Jeff que tocará os sonhos de Deus será perfeito. Nesse tempo, me convenci de que isso não vai acontecer.

Muitas vezes a gente pensa que está pronto demais, principalmente depois de vitórias. Depois de um longo jejum de seis meses, eu poderia me considerar forte o suficiente para enfrentar as maiores batalhas, mas não é assim que termino esse tempo. Na verdade, esse pensamento de nos sentirmos qualificados demais, tem lá sua razão, mas corta uma das nossas principais raízes: a dependência de Deus. Nas noites solitárias dos últimos meses, aprendi que sem Ele, eu não sou nada, e nunca estarei pronto para fazer coisa alguma. A obra vai até o dia de Cristo Jesus e até lá, o Oleiro apenas me garante com sua fidelidade: “eu terminarei” (Fp 1.6)

Nesse meio tempo, também vi muitas pessoas que criam auroras pessoais, colocando holofotes sobre si. Infelizmente, não é desse tipo de justiça que a Bíblia fala. Na verdade, a Bíblia sempre vai se opor aos valores do mundo, por isso os ignoro até mesmo quando os vejo dentro das Igrejas. Os perfeitos podem me desculpar, mas Jesus prometeu o Reino ao que nada é, ao defeituoso, ao coxo, ao pobre… Ao dependente. O caminho da Justiça não é um caminho de plena luz, mas de luz crescente, contínua, que vai aumentando, aumentando com o passar do tempo, até amanhecer.

Você não se considera pronto? Você pensa estar imperfeito? Incompleto? Você olha para a sua vida hoje e tudo o que pode ver é uma noite escura na sua vida sentimental, escuridão em seu caráter, em seu ministério. Se isso te consola, eu quero te dizer que eu também não amanheci completamente… Ainda falta muito para que o sol venha a aquecer tudo dentro de mim, e eu acredito que quando esse dia chegar, eu não estarei mais na Olaria dos dias, mas serei um vaso pronto, escolhido para estar na prateleira do Senhor, decorando o Seu Lar, e fazendo apenas isso. Enquanto isso meu caminho amanhece, e como diz a THE MESSAGE, minha oração é o quanto mais viver, muito mas brilhar.

A esperança é um dos valores que Ele plantou em meu coração desde sempre. Vivi toda a minha vida aprendendo a esperar, esperando pelo grande dia em que o meu caminho brilhará como a manhã amarelada, e serei apenas luz, junto com Ele. Enquanto esse dia não chega, dependo apenas dEle mesmo para prosseguir vivendo cada dia.

***

Vocês devem querer saber o que aconteceu nesses seis meses, então começo aqui a série “seis meses em seis dias”. Vocês vão acompanhar junto comigo cada fato, cada momento desses seis meses, tudo o que eu vivi e tudo o que eu apenas ouvi falar a respeito. Voltem aqui essa semana que temos muita conversa para colocar em dia, não é?