Guitarras distorcidas, bateria frenética, baixo marcante e uma voz melodiosa que ensaia entre notas trabalhadas e gritos. Lógico que é de tudo isso que eu gosto. Rock bem tocado, com letra significativa e com composição impressionante… Mais que barulho, menos que melancolia ou expressão. Eu gosto muito da INSTRU. Banda maravilhosa que reune todas essas coisas que eu gosto. Meu tronco e minha cabeça desobedecem, mesmo que eu esteja no ônibus, impossível não responder a músicas tão fortes.

E quem me conhece sabe: musicalmente, não troco esses arrepios na espinha por nenhum hit de rádio.

O clipe aí em cima é de “o mundo não acaba aqui”, da INSTRU. Os caras ainda são uma banda independente e eu oro para que continuem assim. Quer mais? Vai lá no MySpace deles!