Tag Archive: Penina


https://i1.wp.com/img43.imageshack.us/img43/1736/hannah2.jpg

José Perez Montero é meu artista bíblico preferido. Li sua “Bíblia Ilustrada Para Crianças” quando tinha 12 anos e nunca mais desenhei da mesma forma. Ele foi uma grande influência pra mim e estou muito feliz em utilizar seus desenhos para ilustrar minha série sobre Ana, daqui para a frente.

***

Elcana casou-se outra vez por um motivo óbvio: Ana não tinha filhos. Frase infernal que se repetia em sua mente e nas conversas da família: Ana não tem filhos, Ana não tem filhos. Quase um mantra. Ela já não aguentava mais ouvir a mesma coisa, praticamente todos os dias. Quando parecia que as pessoas se importavam com ela e não com o seu ventre, em leves momentos de distração, alguém logo tratava de ressuscitar o assunto: Ana não tem filhos. Cansava. Uma coisa interessante sobre a Bíblia, é que as histórias das pessoas estão resumidas aos fatos mais importantes. Nós esquecemos de “entrar” na vida das pessoas ali retratadas e tentar entendê-las. Quando faço isso com Ana, encontro mais a mim mesmo ali, retratado, do que eu mesmo imagino.

Continue lendo

https://i1.wp.com/img190.imageshack.us/img190/4264/hannahgjr.jpg

Voltar à ativa pode soar diferente para quem esperava esse retorno. Eu até gostaria de falar sobre São Paulo e as últimas coisas que andaram acontecendo comigo, mas não me sinto animado para isso agora. Vai ser complicado escrever esta série aqui no meu blog sem comentar fatos que estão ocorrendo, mas se não for assim, a coisa perde um pouco da pessoalidade. Tenho recomendações expressas para tomar cuidado com a exposição, então fica aqui o que for essencial. Mesmo assim, não vou deixar de compartilhar um momento tão… Digamos, especial da minha vida.

Ricos, pobres, judeus, árabes, hindus, gripados ou não, todos nós enfrentamos (entre tantos “inimigos”) um opositor especial. Eu diria que o opositor em questão não é apenas um e a palavra que os representa não é um substantivo masculino. Sempre se espera algo de alguém, sempre vai se esperar algo de você. As expectativas externas em torno do que você é/pode fazer, são motivo de muita coisa: ou você se revolta e as supre, ou você se revolta e vai além delas. A opção de decepcionar não é descartada aqui, mas é ignorada pela maioria de nós. Valorosos somos, não?

Continue lendo