Já é madrugada. Ontem foi mais um dia meio “tapado” pela chuva aqui em Maceió… O que cancelou boa parte das coisas que aconteceriam fora de casa, e consequentemente atraiu o dia para o quarto, a janela embaçada e alguma coisa na Internet. Na primeira saída de casa, ocorreu algo como uma crise, acho que realmente passei mal e comecei a suar, em meio a muitos espirros. O atordoamento foi tanto que desci do ônibus no meio do caminho e percorri uns dois quilômetros a pé. Mas já está tudo bem.

Antes de vir pra cá, estive conversando com algumas horas com o meu pastor. É legal quando você não aluga o pastor para ouvir você, mas simplesmente para para ouví-lo… Sonhar com ele, planejar com ele e saber a opinião dele sobre as coisas, e no meio disso você acaba dizendo como se sente. Gosto dessa versatilidade dele em apanhar coisas no meio das conversas e converter em laudo. Acaba que aqueles papos constrangedores de confissão ficam pra quando a coisa fica realmente preta. Isso poupa muito tempo e muito embaraço, e as coisas acontecem assim, naturais.

Enquanto conversávamos, um sorriso não saía do meu rosto. Eu não sei se ele notou isso, mas eu já estava pensando exatamente no que eu iria escrever aqui. Uma constatação não muito confortável me deixou, como eu gosto de dizer, entendendo “tantas, tantas coisas”.

Continue lendo